Marca Nacional Inn Hotéis vira referência no interior paulista

Tempo de leitura: 3 minutos

O Hotel Nacional Inn Piracicaba, localizado em um dos pontos mais tradicionais da cidade, fica a 300 metros do centro educacional, empresarial e financeiro. São 160 apartamentos e quatro salas para eventos corporativos com capacidade total para 380 pessoas

A origem mineira, fincada na aprazível Poços de Caldas, remonta ao início dos anos 70. De lá para cá, tijolo por tijolo, os hotéis da marca Nacional Inn foram surgindo e conquistando espaço fora do Sul de Minas. E o avanço em território paulista começou por Ribeirão Preto. A percepção dos empreendedores levou ao encontro de novas oportunidades interior paulista afora, numa sucessão de aquisições e construções de imóveis próprios destinados à atividade hoteleira sob a marca Nacional Inn.

Considerando o total de 51 hotéis em sete estados e 23 localidades brasileiras, as três bandeiras máster diferenciadas por categoria estão presentes em 12 cidades do interior paulista, perfazendo 24 unidades. Ou seja: quase 50% do total de endereços da marca. O caçula deles, o Golden Park Sorocaba, foi inaugurado em 26 de junho passado e elevou para três o número de unidades da marca Nacional Inn na famosa e estratégica ‘Manchester Paulista’. 

Logística favorável

A três bandeiras da marca – Nacional Inn, Dan Inn e Golden Park – presentes nas 12 cidades do interior paulista contemplam conexões e acessos facilitados por rodovias e aeroportos. Esta vantagem logística, aliada a bons serviços, preços competitivos e generosidade marcante do café da manhã, habilitam os hotéis da marca Nacional Inn a atender tanto o segmento de lazer como o corporativo.

Algumas unidades, como as localizadas em Ribeirão Preto, Sorocaba e Campinas, dispõem de centros de convenções completos para a realização de diferentes formatos de eventos. Em comum, os meios de hospedagem da marca oferecem a tranquilidade das cidades interioranas, em contraste com o trânsito nervoso e complicado da capital paulista.

Segmento MICE

A sigla internacional MICE – Meetings (Encontros), Incentives (Incentivos), Conferences (Conferências) and Exhibitions (Feiras) é usada em referência à modalidade de turismo em que grandes grupos, geralmente planejados com antecedência, se reúnem para um propósito específico. O setor dos incentivos funciona, muitas vezes, como um prêmio aos funcionários de determinada empresa ou instituição, cujos objetivos foram atingidos ou ultrapassados. Enquanto os demais tipos de turismo MICE apresentam objetivos profissionais ou educativos claros, o de incentivos geralmente se volta apenas para o entretenimento.

De acordo com Daniel Santos, diretor da Nacional Inn, “temos investido bastante em equipamentos apropriados e serviços de qualidade para a realização de eventos de diferentes portes. Considerando a força econômica do interior de São Paulo, hoje temos ótimas opções para as empresas realizarem convenções, workshops, congressos e demais modalidades dentro do segmento MICE”. 

Geração de emprego e renda

O turismo de negócios, de um modo geral, tem se revelado de fundamental importância para a economia das cidades. Gera incremento na ocupação dos hotéis e no comércio. Uma convenção, por menor que seja, sempre traz ótimos rendimentos. Pesquisa conjunta do Sebrae com a Associação Brasileira de Empresas de Eventos (Abeoc Brasil) revela que em 2013 foram realizados, no país, 590 mil eventos, sendo a metade na Região Sudeste. Ao todo, contaram com a participação de 202,2 milhões de pessoas. O crescimento médio dos últimos anos tem girado em torno de 14%.

Maior da América Latina com hotéis próprios

A presença significativa da marca Nacional Inn Hotéis no interior paulista tem a retaguarda de 45 anos de experiência no mercado brasileiro de hospitalidade. São mais de 5.500 apartamentos disponibilizados nos 51 hotéis da marca em 23 destinos – a maioria deles com vocação corporativa. “A Nacional Inn, além de 100% brasileira, é proprietária de todos os imóveis dos hotéis que administra e comercializa. Essa peculiaridade confere à nossa operação hoteleira tanto saúde de gestão como inegável vantagem competitiva”, sintetiza Daniel Santos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *